Prestes a assumir na Câmara de JP, vereador é condenado à prisão

Segundo suplente de Durval Ferreira, Sérgio iria ocupar a vaga na Câmara Municipal, após Helena Holanda tomar posse de forma efetiva na Casa.

11 de outubro de 2019   

Prestes a assumir mandato na Câmara Municipal de João Pessoa, o ex-vereador Evandro Sérgio de Azevedo Araújo, conhecido como ‘Sérgio da SAC’, foi condenado pelo Tribunal de Justiça a quatro anos de reclusão e dois de detenção pelo crime de desvio de recursos públicos.

Segundo suplente de Durval Ferreira, Sérgio iria ocupar a vaga na Câmara Municipal, após Helena Holanda tomar posse de forma efetiva na Casa.

Além do vereador, a filha dele, Michelle Pinto Araújo foi condenada a um ano de reclusão e 10 dias-multa, substituído por prestação de serviço à comunidade ou entidades públicas. Paulo Sérgio da Silva Carneiro e Moacir Rodrigues da Silva Junior foram condenados a cinco anos de reclusão e dois, de detenção, com 50 dias-multa.

De acordo com TJ, o ex-vereador foi condenado por fraude licitatória, apropriação indébita, falsificação de documento particular e falsidade ideológica. Paulo Sérgio e Moacir, pelos mesmos crimes, além do de uso de documento falso. Michele, apenas por apropriação indébita.

Conforme a síntese da denúncia do MP, os réus Paulo Sérgio da Silva Carneiro, Moacir Rodrigues da Silva Júnior, Aldebarã Bezerra de Melo, sob a coordenação do então vereador de João Pessoa, Evandro Sérgio, e Michelle Pinto, montaram um esquema para desviar recurso público por meio da Associação Esportiva, Cultural, Recreativa e Comunitária do Bairro Valentina de Figueiredo.

Ainda de acordo com os autos, eles teriam se apropriado do valor de R$ 53,3 mil oriundos do Convênio nº 23/2010, falsificando documentos comprobatórios da capacidade financeira da entidade e fabricando cheques e extratos bancários.

A denúncia afirma que o foi ‘de fundamental importância’ no esquema, pois, através de lobby político, teria angariado do Governo do Estado o convênio para a realização de uma festa carnavalesca denominada’ II Carnaval do Sol’, permitindo a transferência do valor para os cofres da Associação, por meio de convênio que seria celebrado com a Empresa Paraibana de Turismo (PBTur).

MaisPB