Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Santanna faz desabafo no São João de Bananeiras em favor do forró tradicional: ‘vamos cuidar com carinho’

Show fez parte da abertura do São João 2023 na cidade do Brejo paraibano. Flávio José também subiu ao palco em noite marcada pelo 'forró raiz'.

Publicado: 17/06/2023

FOTO: REPRODUÇÃO

O cantor e forrozeiro Santanna, subiu ao palco do São João 2023 de Bananeiras, na Paraíba, na noite desta sexta-feira (16). Durante o show de abertura da festa na cidade do Brejo paraibano, o cearense fez um desabafo em favor do forró tradicional nas festas juninas do Nordeste.

“Essa festa se tornou grande desse jeito porque é diferente. Quando você é diferente, você é rapidamente notado. Isso é um presente que nossos pais e nossos avós nos deram, então vamos cuidar com carinho, porque quem não sabe ter, até o que tem lhe será tirado, isso é bíblico”, desabafou Santanna.

Ao som da música Siá Filiça, dos compositores paraibanos Bira e Fátima Marcolino, Santanna fez analogias para lembrar que o momento é típico do Nordeste e deve ser valorizado como tal.

“Vocês já pensaram o que é uma canjica, um milho assado, até o pé de moleque, uma pamonha, e de repente isso ser substituído por hambúrguer? Em plena festa junina? Não vamos deixar isso acontecer não, pelo amor de Deus. Nós somos isso aqui, quando a gente começa a imitar outra cultura, nós não vamos passar de imitadores ruins”, disse Santanna, ao som do fole da sanfona.

A abertura do São João 2023 de Bananeiras contou ainda com show de Flávio José, para marcar uma noite de ‘forró raiz’.

Também subiu ao palco do Bananeira’s Park, uma área na ‘Cidade Alta’ de Bananeiras, às margens da PB-103 (sentido Bananeiras-Dona Inês), Taty Girl e Aduílio Mendes.

Embora a crítica faça referência, principalmente, às programações das festas juninas da Paraíba que incluíram ritmos diferentes do forró, Santanna não culpa os artistas, mas responsabiliza os gestores. “O artista não tem o poder de obrigar um contratante a contratá-lo, agora cabe aos gestores cuidarem da nossa cultura popular”, disse.

Fazendo comparação com uma festa de aniversário, o músico cearense pediu que a festa nordestina fosse comemorada por quem faz a própria festa.

“Vocês imaginem o que é, na sua festa de aniversário, na hora de cantar os parabéns e apagar a vela, quem faz isso é um convidado. Você é retirado do momento e no dia do seu aniversário você não tem o direito de cantar o parabéns, nem de apagar a vela. É o que pode acontecer e o que está acontecendo em alguns lugares”, enfatiza.

Crítica fundamentada por desabafo de Flávio José

A crítica vem duas semanas depois do paraibano Flávio José reclamar de ter tido o tempo de show diminuído no Maior São João do Mundo, em Campina Grande, no dia 2 de junho.

O artista reclamou de ter que diminuir o tamanho do show, em pelo menos 30 mim, após determinação dos organizadores do evento.

“Me disseram que eu só podia tocar 1h10. Eu não tenho nenhum show para sair correndo pra fazer. […] Não foi uma ideia minha. Infelizmente são essas coisas que os artistas da música nordestina sofrem, é isso. ‘Precisa cantar 1h30 não, 1h tá bom’ !”, declarou

O São João 2023 de Bananeiras segue até o dia 24 de junho, enquanto que em Campina Grande, a festa se estende até o dia 2 de julho.

Por g1 PB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS