Santanna critica entrada de outros ritmos no São João, e diz temer que a festa perca a essência

Durante entrevista em CG, o forrozeiro frisou sobre a necessidade de valorizar a cultura nordestina de raíz.

9 de junho de 2019   

Santanna O Cantador, atendendo à imprensa no Parque do Povo. (Foto: Paolloh Oliver-Se Liga PB)

“Eu acho que seja um sinal dos céus, Deus avisando que a abertura tem que ser no estilo que a gente é”. Essa foi a declaração de Santanna “O Cantador”, durante entrevista coletiva na última sexta-feira(07), na abertura do 36° Maior São João do Mundo, em Campina Grande.

O forrozeiro diz discordar com a inserção de outros ritmos no evento, e diz que o “São João é grande, por ser diferente dos restos de outras festas culturais”. “Se você quer igualar, igual aos outros que tem em São Paulo e Goiás, a gente vai perder a identidade”, pontuou.

Santanna destaca que o São João é uma festividade que tem como diferencial a sua essência. “Eu me preocupo com a festa, que não é individual. Me preocupo com o coletivo”, explica.

“Se tornou a maior festa do Brasil, porque é assim. Não tem lá fora, só tem aqui”, salientou, frisando que apenas no Nordeste do Brasil se vê festas de tamanhos grandiosos, e com estruturas de eventos internacionais.

O cantor ainda usou exemplo, para expor seu ponto de vista. ” Elvis Presley é o rei do rock. Mas cantando forró, perto de Flávio José, ele perde. Assim como Flávio perde pra ele no Rock. O que me preocupa é o futuro”, discorreu.

“Porque nós somos colônia do Sudeste, e quando o colonialismo é praticado dentro do próprio país é muito difícil sair do julgo. Essa invasão toda é por conta da mídia do Sudeste. Você não vê um programa, nas grandes redes de televisão, com sotaque nordestino. Não tem”, finalizou.

Redação

VEJA TAMBÉM